3

Divergente (Filme)

em domingo, maio 24, 2015
Você deve estar pensando que sou maluca em falar sobre um filme que já passou há tanto tempo e pode estar, dependendo de seu ponto de vista, "saturado". Eu sei que não é novidade para ninguém o filme e o livro. Porém aí vai um ponto importante: assisti o filme há não tanto tempo assim e acho bacana vir falar sobre ele aqui assim como a maioria dos outros que assisto e acho memoráveis a ponto de comentar. Ah, e já adianto que vai ter resenha do livro também em breve! Então se você não se interessa muito por Divergente, que tal conferir as outras resenhas de livros e filmes que já passaram por aqui? Quem sabe você se interessa por alguma outra dica que não seja essa? Clique aqui para conferir a lista de filmes já resenhados no blog.



Assisti Divergente quatro vezes. Bom, pra falar a verdade, três e meia já que ainda não terminei de rever pela última vez. Você deve saber sobre o que conta a história. Em uma Chicago futurista, as pessoas são divididas em facções na sociedade. Essas facções determinam seu lugar no mundo em vários sentidos, seu futuro e até mesmo a profissão que vai seguir pelo resto da vida. Cada uma delas está ligada intrinsecamente com algum tipo de característica de personalidade dominante. São elas: Abnegação (se relaciona com o altruísmo), Erudição (inteligência), Amizade, Franqueza e Audácia (coragem).

Duas coisas em conjunto estão ligadas ao processo de determinação de facção: o teste de Aptidão que todos devem fazer em sua juventude. A partir de uma análise minuciosa de suas reações a determinadas situações, o Teste vai indicar qual a facção que é a mais adequada para escolha. Uso a ideia de "poder de escolha" porque no final das contas a própria pessoa que escolhe para qual facção quer ir. E aí entra o outro ponto que ia mencionar: há uma Cerimônia de escolha onde a pessoa determina qual facção irá viver pelo resto da vida. Mas isso não é tão simples quanto parece. Há uma série de pequenos pontos envolvidos nessa escolha que indicarão até mesmo sua própria sobrevivência na facção e na sociedade.

Beatrice Prior está perto de passar pelo seu teste de aptidão. Ao contrário de Caleb, seu irmão completamente altruísta, sua escolha não é tão nítida assim. Ela não consegue se ver como integrante da Abnegação, sua facção de origem, pelo resto da vida. Para piorar, não tem ideia de qual facção se encaixaria. Decidir a facção implica em uma série de consequências que podem ser boas ou ruins. Ser um transferido para outra facção significa que você não verá mais seus pais. "A facção antes do sangue" é um lema levado bastante a sério. Sua nova facção é sua nova casa e família. Não há como voltar atrás.

No teste de Beatrice, acaba descobrindo algo completamente confuso: ela é divergente. Suas características não se enquadram numa facção apenas. Isso é um grave problema já que divergentes são considerados uma ameaça para o sistema de facções. Sendo assim, Beatrice deverá escolher com sabedoria na Cerimônia. Mas também usar um pouco de sua intuição de modo que possa passar despercebida em sua nova "casa".

Ao escolher a Audácia como sua facção, a vida de Beatrice muda por completo. Além de ter que se adaptar com a rotina totalmente diferente e arriscada do lugar, ela conhece Quatro, um dos rapazes da Audácia que não parece muito acolhedor. Correndo riscos de vida ao ter que esconder quem ela de fato é, Beatrice, agora conhecida como Tris, deve conseguir passar na Iniciação da Audácia e se certificar de que ninguém saiba o que ela é de verdade. Só assim - e talvez - vai conseguir se manter viva até o final.

Desde a primeira vez que assisti a Divergente, me encantei com a premissa da história e sabia que iria querer conferir mais vezes, além de disseminar o filme por aí. Nessa nova "onda" de livros e filmes distópicos, fica bem difícil criar algo totalmente inédito e diferente. Em Divergente, além dos elementos que todo mundo gosta de ver em filmes no geral: como um pouco de romance, bastante ação, cenas de riscos, etc, etc, o filme consegue cativar pela personagem principal ser desafiadora, esforçada, determinada e corajosa. Apesar de suscetível a medos e receios como qualquer outro, Tris consegue ser uma personagem que cativa o telespectador e prende sua atenção até o final com seus dilemas e complicações da nova vida.



Não sou nenhuma expert de análise de filmes, mas achei que a atriz foi bem feliz quanto a sua atuação em Divergente. Não tem como não enxergá-la como Tris. Quando vamos assistir uma adaptação é claro que ficamos receosos quanto a isso. Mas creio que todos se encaixaram da melhor forma possível. Theo James fez um papel excelente mostrando o enigmático e durão Quatro. Ele conseguiu realmente dar vida ao Quatro que Veronica Roth escreveu nos livros. Os outros personagens cumpriram totalmente seu papel: a amigável e audaciosa Christina, o irritante Peter, Jeanine, Al, Eric, e todos os outros.

Uma das coisas que prende o telespectador no filme é o fato de torcer para que Tris não seja descoberta por ser Divergente. Apesar de a princípio não entendermos muito bem o que esse ponto específico significa, temos a ciência de que não é algo bom, tampouco aceitável pela sociedade. Na busca por respostas, acompanhamos o desenvolvimento da personagem principal, o romance que ela vivencia, as traições de pessoas próximas, as angústias de estar completamente sozinha tentando passar numa Iniciação complexa e arriscada, que exige muito de si.

Uma coisa que me incomodou um pouco foi uma cena específica onde os efeitos especiais foram daquele tipo "não convincentes", sabe? Com exceção disso, os cenários onde a história transcorre são bem feitos, quase como se fosse reais! A Chicago com seus prédios devastados e ruas caóticas ficaram incríveis. Até onde li do livro, tudo estava bem fiel e materializado conforme a visão que a autora nos passa na leitura.

A trilha sonora é incrível. As músicas combinam totalmente com o filme. As cenas onde uma ou outra entram, conseguem caminhar juntas com a emoção que aquilo deve passar. Indico a você baixar as músicas e ouvi-las. Funcionam muito bem por si só.

Quanto a inevitável comparação do livro versus filme, ou avaliação quanto a adaptação em si - se foi fiel ou não - ainda não posso dizer. Mas de qualquer forma, avaliando o filme por si só, vale a pena ser assistido. Se você gosta de filmes com ação, romance e suspense, vai gostar bastante de Divergente. É um amorzinho só e completamente viciante!
11

Livros e filmes desejados de maio

em sexta-feira, maio 22, 2015
Para maio minha lista de desejados aumentou consideravelmente! Se você passou por aqui nos últimos dias, deve ter visto o post enorme com vários dos lançamentos de maio! Apesar de estar sendo cautelosa com minhas compras de livros, isso não impede de adicioná-las na lista de desejados para comprar depois, não é?
Caso você não saiba que postagem estou falando, é só clicar aqui que será redirecionado para conferir.

Nesse mês, fiquei tentada a colocar "Apenas um ano" da Gayle Forman na lista, mas ainda não li o primeiro livro Rssrssss então decidi passar. Ah, quem acompanha o Facebook do blog deve ter visto que compartilhei faz um tempinho a nova capa que será usada para relançar o primeiro livro, "Apenas um dia". Fiquei feliz porque achei muito mais bonita do que a adotada anteriormente, entretanto, vou ficar com capas desiguais na estante (x)!
"Elena, A Filha da Princesa" da Marina Carvalho, parece ser bem legal também. Porém ainda não li os outros dois livros, então vou aguardar!

Minha lista ficou assim:
LIVROS


Originals: Ascenção: Nunca li um livro sobre vampiros. Sério, acreditem. Mesmo com toda aquela explosão de livros do gênero há um tempão, não comprei nenhum e só ganhei um da Charlaine Harris, mas nem era o primeiro. Umas folheadas eu até dei, mas não li até o fim.
Já ouvi que a série de TV The Originals é muito boa! Quando li o primeiro capítulo desse livro fiquei bem interessada. A narrativa parece ser bem ágil e o livro, curtinho. Espero gostar bastante do livro! Ele tem ótimas avaliações no Goodreads.
Compre na Livraria da Travessa / Livraria Cultura | Mais informações: Goodreads / Skoob
.....................................................................................................................................................................
Para Todos os Garotos que Já Amei: Minha história com esse livro é bem antiga. Pra falar a verdade eu não li muitos livros da Jenny Han, apenas o que ela escreveu com a autora Siobhan Vivian, chamado de "Olho por Olho". Eu gostei bastante! Gosto da escrita da Siobhan e também curti o livro todo. Já dei uma folheada nos livros da Jenny, mesmo sem tê-los, e acho a escrita dela muito bacana. Além disso, a capa é fofa e a proposta da história também: e se todos os garotos que você gostasse soubessem disso por meio de cartas que você escreveu e foram enviadas a eles anonimamente?
Compre no Submarino / Livraria CulturaMais informações: Goodreads / Skoob
.....................................................................................................................................................................

Gelo Negro: Ta aí outra autora daquelas que vocês vão olhar para mim com um ponto enorme de interrogação no rosto por ainda não ter lido hahaha Diferente de seu lançamento sobrenatural anterior, "Gelo Negro" mais me pareceu uma espécie de thriller misturado com romance. Eu amo thrillers e espero que seja muito bacana! Apesar de que a nota no Goodreads não é lá aquelas coisas... Mas pretendo ler mesmo assim! A capa é sensacional, não acham?
Compre no Submarino / AmericanasMais informações: Goodreads / Skoob
.....................................................................................................................................................................

Red Hill: Para tudo! Eu necessito desse livro! Estou de olho nele desde que lançou lá fora (2013) e ai gente, preciso! Meus motivos de querer esse livro não tem argumentos bem elaborados haha. Eu amei a capa primeiro. Quando li a sinopse fiquei doida para tê-lo. Sem dúvidas vai ser um desses livros que passam na frente dos outros, sem dó nem piedade - assim como Divergente e Maze Runner fizeram. Livros com epidemias mortais que devastam parte da população e acabam deixando as pessoas abrigadas em algum lugar, sem necessariamente possuir comida e ter que sair por aí para sobreviver, me deixam animada! Esse tipo de livro sempre promete muitas ações e cenas de tirar o fôlego. Bem, pelo menos é isso que espero encontrar em Red Hill.
Compre na Livraria Cultura / Livraria da TravessaMais informações: Goodreads / Skoob
.....................................................................................................................................................................

A Canção de Alanna: Adicionei por motivos de não ler muitos livros infantojuvenis com fantasia e aventura. O livro é super bem avaliado no Goodreads e fiquei bem curiosa para conferir a história. Ela segue aqueles mesmo padrões de uma garota que tem o destino do seu mundo nas mãos e precisa salvar a todos correndo risco de perder a própria vida. Sim, pode parecer clichê, mas mesmo assim parece também ser uma história bem bacana!
Compre no Submarino / AmericanasMais informações: Goodreads / Skoob
.....................................................................................................................................................................

FILMES

Nesse mês estou um pouco desanimada para filmes. Apesar de ter ficado curiosa em conferir Mad Max não sei se farei isso no cinema. O trailer é sensacional, eu sei, mas não estou tão animada. Outros títulos também me interessaram como Poltergeist - apesar de (regra geral, mas com exceções) eu não curtir muito filmes com fantasmas, se você der uma olhadinha no trailer, vai gostar dos efeitos especiais! Acho que só por eles dá pra considerar ir assistir o filme sim!
Super Velozes Mega Furiosos é uma sátira da franquia Velozes e Furiosos! Sempre fui adepta a assistir esse tipo de filme. Na maioria das vezes é uma diversão só. Apesar de ter rido bastante enquanto assistia o trailer, fiquei um pouquinho receosa. Sabe como é, nem todas minhas experiências com filmes assim foram positivas. Esse meu medo me impede de assistir no cinema. Pelo menos por enquanto.
Você pode conferir o post com os filmes lançados no mês clicando aqui.

E vocês, caros leitores, contem aí se vocês se interessaram por algum desses?
5

Cinderela Pop, por Paula Pimenta

em quarta-feira, maio 20, 2015
INFORMAÇÕES:
EDITORA: Galera Record
PÁGINAS: 156 páginas
AVALIAÇÃO: 4 de 5 estrelas (Ótimo)
COMPRE: Na Americanas.com, No Submarino
LEIA O PRIMEIRO CAPÍTULO: Clique Aqui

DEFINITIVAMENTE ALGO DE MUITO ERRADO ESTAVA ACONTECENDO COMIGO. AQUELE GAROTO NÃO TINHA NADA DE "PRÍNCIPE"! NO MÍNIMO DEVERIA SER UM BRUXO DISFARÇADO, PORQUE SÓ UM FEITIÇO EXPLICARIA TUDO QUE EU ESTAVA SENTINDO. ELE HAVIA ME DEIXADO COMPLETAMENTE... ENCANTADA.

Cinderela Pop é o segundo livro da coleção Princesas Modernas publicado aqui no Brasil pela Galera Record. É também uma versão estendida do conto “Princesa Pop” lançado na coletânea de contos Livro das Princesas em 2013. O primeiro livro da série Princesas Modernas foi Princesa Adormecida, mas teremos também releituras de Branca de Neve, Ariel e da Bela e a Fera.

Cíntia é uma adolescente com uma vida aparentemente perfeita: mora com os pais numa casa legal, frequenta aulas num excelente colégio e faz curso de inglês. Além disso, tem uma grande amiga, Lara, e um paquera no curso. Num dia comum, Cíntia decide cabular a aula no curso de inglês para estudar pra prova de Química. Ao ouvir vozes na casa, de forma curiosa, ela as segue até o quarto do pai onde descobre que ele está traindo sua mãe com uma das funcionárias da empresa.

Cíntia fica furiosa e sua primeira reação é a de sair de casa. Com a mãe trabalhando em viagem como arqueóloga e completamente inacessível, Cíntia decide então ficar na casa da tia e mantem distância do pai. Com a separação dos pais e a volta da mãe para o país, ambas tomam atitudes distintas: enquanto Cíntia passa a ficar desacreditada do amor, sua mãe se afunda ainda mais no trabalho, realizando viagens com mais frequência, e portanto ficando cada vez mais distante da filha.

Nesse meio-tempo, ela acaba conhecendo o trabalho que o namorado da tia faz. Ele trabalha como DJ em festas e baladas. Com o tempo, acaba ensinando Cíntia e ela começa a tocar em algumas festas matinê, ou as que vão, no mínimo, até a meia-noite. Além de ganhar um dinheiro extra, o trabalho como DJ acaba sendo uma válvula de escape de sua cruel realidade e a única coisa que a faz se sentir bem novamente.

Com um problema da escola que impossibilita que Cíntia use o celular no único horário que consegue falar com a mãe - porque ela está no Japão! - ela não vê outra saída a não ser pedir ajuda ao pai. Após tanto tempo sem se falar, ele fica no mínimo, surpreso. Ele concorda em ajudá-la, mas com uma condição. Cíntia tem que ir para a festa de debutantes de suas duas "irmãs". O astro pop do momento também estará lá, Fred Prince. Apesar de Cíntia não dar a mínima para ele e não gostar da ideia, pensa na possibilidade de ir como troca de favores. Porém fica surpresa ao descobrir que a festa das "bruxinhas" nada mais é do que o mesmo lugar onde ela vai ter que tocar como DJ! Sendo assim, Cíntia vai ter que se desdobrar e evitar a todo custo não ser descoberta. Senão tudo pode ir para os ares... Inclusive sua única fonte de felicidade: trabalhar como DJ!



Nunca havia lido nada da Paula até então! Por ouvir inúmeros elogios sobre a autora minhas expectativas estavam lá no alto e, como vocês devem saber, isso é um risco enorme para quem é leitor. Mas diferente de outras experiências, não me decepcionei com a história! Acredito que a autora conseguiu cumprir o papel que lhe fora proposto: modernizar a história clássica tão conhecida da Cinderela, sem perder a essência da personagem original e dos rumos que a vida dela leva.

A narrativa é contada do ponto de vista da Cíntia, então conseguimos acompanhar todos seus pensamentos a respeito das outras pessoas, as saudades que ela sente da mãe e da vida perfeita que tinha antes. Com essa visão, conseguimos "comprar" todo o drama que passa ao descobrir que a vida de contos de fadas que ela usufruía, não tinha nada de perfeita.

A narrativa da Paula é muito fluída, então o ritmo de leitura acaba se tornando bem rápido. O livro também é curto, tem apenas 156 páginas, o que firma ainda mais esse conceito. Por ser um conto estendido, nada é tão aprofundado no enredo. No início, acompanhamos a sucessão de fatos em flashbacks até chegarmos ao ponto crítico da história, onde Cíntia se vê no impasse da festa. Apesar disso, a história não se torna superficial. Paula Pimenta consegue convencer o leitor a simpatizar com a personagem e querer acompanhar a história, mesmo já sabendo o que acontece no conto de fadas real da Cinderela.

Quanto a comparação ao conto clássico, as alterações que a Paula fez foram muito sensatas e bem feitas. Tudo se encaixou e ela conseguiu provocar durante a leitura sentimentos iguais aos que temos em relação ao conto, como: não gostar nem um pouco da madrasta e as filhas cruéis, por exemplo, assim como sentir raiva dos castigos que a personagem principal sofre, mesmo que injustamente.

A autora ainda usa de artifícios modernos como o Twitter para o príncipe - que na verdade é um astro teen amado por todas as adolescentes do país - se comunicar com suas seguidores, assim como o Facebook também. Essa parte foi muito bem usada e criativa. Afinal, são artifícios que todo mundo usa hoje em dia e couberam totalmente no enredo.

Acho que por a história ser bem curtinha, o romance acaba não sendo tão convincente. O casal não tem muita sintonia e química, mas é, digamos, aceitável dada as circunstâncias da história real. Apesar desse ponto não tão positivo, consegui me divertir e muito com a história e ri em vários momentos!

Acredito que esse livro seja mais focado no público adolescente/início da juventude, mas mesmo assim não impede que qualquer um leia e se divirta com a história. A escrita da Paula consegue entreter e conquistar o leitor. Eu simplesmente adorei a experiência de leitura e espero ler mais livros da autora.

No geral, Cinderela Pop foi uma leitura bem proveitosa e divertida para mim. Além de trazer aquela nostalgia dos tempos que assistia os filmes clássicos da Disney na TV, o livro me trouxe momentos de puro divertimento! Não é um livro cheio de entraves no enredo que tornariam a história mais lenta, cansativa ou maior. Paula é rápida e objetiva. Acho que por isso acaba conquistando bastante o leitor. Eu fui conquistada pela história da Cíntia! Espero que você também.
10

Os lançamentos literários de maio

em domingo, maio 17, 2015
Demorou, mas enfim saiu a postagem mais temida para quem está economizando dinheiro! HAHA Brincadeiras à parte, cá está a lista com a maioria dos livros lançados em maio! Vem conferir que tem muita coisa legal!

Clicando na capa do livro, abrirá uma janela para compra do livro para o Submarino ou Americanas.com. Caso o livro ainda não esteja disponível para venda, abrirá uma nova aba para o Skoob, onde você poderá conferir a sinopse do livro.

Lembrando que as datas de lançamentos podem sofrer alterações pelas editoras.
Gostou? Aproveita para comentar quais os livros que entraram para sua lista de desejados!

RELANÇADOS: NOVAS EDIÇÕES

CONTINUAÇÕES / SPIN-OFFS:


LANÇAMENTOS






 
Layout por Felicia Gecco desenvolvido para Nuvem de letras