O que eu gostei e o que não gostei em Corte de Espinhos e Rosas da Sarah J. Maas

by - fevereiro 28, 2016

É bem provável que você já tenha ouvido falar da autora Sarah J. Maas. Ela ficou muito conhecida desde o lançamento da série Trono de Vidro (Throne of Glass) que aqui no Brasil foi publicada pela editora Galera Record. Em seu mais recente lançamento, Corte de Espinhos e Rosas, a autora vem com a promessa de um livro cheio de magia, romance e ação, inspirado no conto de fadas de A Bela e a Fera.




Corte de Espinhos e Rosas se passa em um mundo onde humanos e féericos coexistem separados apenas por uma muralha invisível e um Tratado de Paz. Nesse mundo, conhecemos Feyre, uma humana que reside em um chalé pobre com o pai, um mercador manco e falido, e as duas irmãs. Mesmo sendo a caçula da família, é Feyre quem provê o sustento, caçando com seu arco e flecha na floresta, um lugar perigoso e cheio de lendas sinistras. Em uma de suas caças por comida, Feyre acaba matando um grande lobo. O que ela não esperava era que aquele não fosse um simples animal, mas sim um ser feérico.

Pouco tempo se passa até que uma criatura bestial apareça na casa de Feyre para reclamar a vida do ser feérico outrora morto. De acordo com as regras do Tratado entre humanos e feéricos, Feyre deve ser morta ou levada em troca da vida do lobo para viver além dos muros, na Corte Primaveril - um dos territórios feéricos além dos muros, onde Feyre já ouviu boatos não tão agradáveis. Uma vida por outra vida. Após ser obrigada a seguir a fera, a certeza pulsa ainda mais forte dentro dela: Feyre sabe que não vai sair dali viva.

Levada para a terra mágica, a garota acaba descobrindo que a criatura, na verdade, é um féerico cujo nome é Tamlin e ao contrário do que esperava, Tamlim não a trata com desprezo e raiva, mas tenta fazê-la se sentir extremamente confortável em sua mansão. Vivendo em um território onde criaturas mágicas e sinistras aparecem à espreita, à medida que Feyre conhece mais das terras feéricas, descobre que uma praga fere aquele lugar, e ainda que caberá a ela ajudar a detê-la, ou todos estarão condenados eternamente.

Nunca tinha lido nada da Sarah J. Maas, mas já faz um bom tempo que estava querendo ler algo dela pelo simples motivo de ter ouvido tantos elogios sobre a outra série, Trono de Vidro, que eu simplesmente precisava saber o que de tão incrível tinha na escrita da autora! Por isso, quando surgiu a oportunidade de ler Corte de Espinhos e Rosas, não pesquisei muito a respeito da história para tudo ser surpresa. Eu só ouvi falar que o livro era muito, muito bom, tinha uma capa que era a coisa mais linda (a capa original é muito atraente, mas a da Galera Record não fica muito atrás) e uma história de tirar o fôlego! Após ter já finalizado a leitura, posso dizer que sim, o livro tem grande potencial mesmo, e faz jus ao tamanho do sucesso que teve lá fora desde o lançamento. Mas muitas coisinhas me incomodaram durante a leitura, e entre comentários negativos que fiz enquanto estava lendo lá no SKOOB (adiciona lá) HEHE percebi que quem não curtiu tanto o livro ou deu uma nota baixa teve motivos parecidos com os meus. E eu conto tudinho logo abaixo.


Acho que essa foi a primeira leitura do ano na qual tive sentimentos realmente controversos - uma relação de amor e "ódio". Tudo bem, talvez não ódio porque é uma palavra muito forte, mas um grande descontentamento. E esse descontentamento foi do começo da leitura até a metade do livro. Já o amor do meio até o final. Bem, eu explico.

A construção da história foi o que me incomodou um pouquinho mais. Na minha visão, é muito mais fácil alguém desistir da leitura no começo até a metade, que foi o que quase, muito quase aconteceu comigo. Como o livro é narrado em primeira pessoa, entendo que a autora quis construir as coisas com cautela, convencendo o leitor conforme a personagem principal se convencia de coisas que aconteciam, e não fazer tudo soar rápido ou automático só porque tinha que acontecer - como alguns outros livros que já li (x). Mas acontece que o dia-a-dia da Feyre era tão... Monótono e, em alguns momentos, tão chato que quase me fez desistir.

Eu tinha a sensação de que nada acontecia. Aliás, nada de tão importante parecia acontecer de verdade. E eu até fiquei pensando por qual motivo a autora não condensou os capítulos, colocando um pouco mais de ação e deixando-os menos enfadonhos no começo, ao invés de inserir partes que fariam sentido à história no meio de coisas que não faziam diferença alguma no livro.

Isso fez com que eu ficasse me perguntando o que as pessoas tinham visto de tão legal no livro que eu não estava conseguindo ver. E depois de passar da metade da história, aí sim eu entendi. E se você abandonou o livro na metade, ou perto dela, te aconselharia a fazer um esforcinho e passar da metade, porque então tudo vai valer a pena.

Na segunda metade do livro, tudo acontece. Tudo o que senti falta no começo da história, veio como uma avalanche na segunda parte. A história começa a engrenar, a ação finalmente acontece e consegue prender a atenção nas páginas seguintes, que estão repletas de ação, romance e momentos tensos. É nesse momento que começamos a conhecer melhor Prythian, as terras feéricas, e os seres que se espalham entre as sete cortes. Os acontecimentos são narrados de uma forma tão envolvente e prendem tanto a atenção, que não pensei mais em largar a história. De jeito nenhum.

Após a metade do livro, também consegui simpatizar mais com os personagens e posso dizer que me apaixonei por todos eles, querendo saber mais sobre a história de cada um, bem como do mundo feérico criado pela autora . Feyre, a personagem principal, muitas vezes foi teimosa - o que me dava nos nervos hahahah (ate compartilhei um pouco lá no snapchat minhas angústias quanto a isso [nuvemdeletras]). Já Tamlin, muitas vezes, me fez ter vontade de sacudi-lo para ser mais ativo; Lucien e Rhysand foram outros personagens interessantes e muito corajosos, que me deixaram querendo saber mais sobre as histórias deles!

Não costumo ler livros de fantasia e essa foi a minha primeira experiência de leitura de um livro que fala sobre o mundo de fadas. Talvez isso tenha, mesmo que incoscientemente, pesado um pouco mais na minha avaliação final da leitura e aproveitamento da história. Mas apesar de eu ter encontrado vários pontos que me incomodaram na leitura, num contexto geral, o livro é muito interessante. E sim, eu indico - e quase dei uma nota 3,5 ou 4 porque o livro vale a pena!

Para quem não sabe, o livro faz parte de uma série (apesar de eu achar que a história teve um fechamento justo, mas tem assunto sim para um segundo livro). No ano passado a Galera Record anunciou que vai ter filme baseado no livro! YAAAAY Se isso acontecer de verdade, tenho certeza de os efeitos serão incríveis  e vai ser muito bacana acompanhar a história de Feyre nas telonas!


INFORMAÇÕES:
LIVRO: Corte de Espinhos e Rosas, por Sarah J. Maas
TÍTULO ORIGINAL: A Court of Thorns and Roses
EDITORA: Galera Record
PÁGINAS: 427
AVALIAÇÃO: 3 de 5 estrelas
COMPRE: na Amazon, na Livraria Cultura, na Livraria da Travessa
LEIA O PRIMEIRO CAPÍTULO: Clique aqui
O OLHO DOURADO QUE LHE RESTAVA ENCARAVA O CÉU, AGORA CARREGADO DE NEVE, E, POR UM MOMENTO, DESEJI TER A CAPACIDADE DE SENTIR REMORSO POR SUA MORTE, MAS AQUILO ERA A FLORESTA, E ERA INVERNO. 

Você também vai gostar

3 comentários

  1. Eu comecei a ler esse livro e estava num pique danado mas teve um começo meio morto e como você disse, da metade pro fim aconteceu tudo. Quando as coisas ficaram realmente legais o livro acabou e não achei tão bom assim. Eu achava que era livro único e fiquei preocupada com a continuação agora, haha. Mas quero muito ler a outra série da autora Trono de vidro que todo mundo elogia. :D

    Beijos!
    http://www.prateleiracolorida.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiquei surpresa também ao saber que é uma série hahahaha Pra mim nem precisava, a história pareceu completa pra mim. Eu também tenho que ler Trono de Vidro. Acho que o começo é mais agitado, então talvez eu até goste mais :D

      Excluir
  2. Eu comecei ao contrário de você, eu li primeiro a série Trono de Vidro (meu amor eterno, melhor série de todos os tempos!!!) e estou enrolando muito pra ler este livro, não sei, estou com medo de não gostar, amo tanto Trono de Vidro, que não quero comparar (apesar de as histórias serem bem diferentes). Mas agora, depois da sua resenha, creio que este será a minha próxima leitura.

    Bjkas :)
    Marina Bartholi
    http://afinsdaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir