Header Ads

Um livro mediano que deixa saudade | Uma Prova de Amor, da Emily Giffin

A última vez em que tive contato com algum livro escrito pela Emily Giffin foi em 2013, quando fiz a leitura de Laços Inseparáveis. Apesar do tempo, eu tinha lembranças de como os livros dela eram: com assuntos do cotidiano, personagens bem construídos e uma história cativante e muito bem escrita. Dessa forma, quando 5 anos depois resolvi ler "Uma Prova de Amor", eu já esperava encontrar uma leitura proveitosa, divertida e emocionante. E, apesar de minha nota final ter sido três estrelas de cinco, posso dizer que, tirando algumas coisinhas, o livro me agradou.




"Uma Prova de Amor" conta a história de Claudia Parr. Ela é uma bem-sucedida editora de Nova York que não pretende ser mãe e até desistiu de encontrar alguém que aceite esta sua escolha. Mas, então, ela conhece Ben. O amor dos dois parece ideal. Ben é o marido perfeito: amoroso, companheiro e — assim como Claudia — também não quer crianças. No entanto, o inesperado acontece: um dos dois muda de ideia a respeito dos filhos. E, agora, o que será do casamento dos sonhos?

Em "Uma Prova de Amor", Emily consegue trazer uma lição muito bacana sobre relacionamentos no geral: entre amigos, família e consigo mesmo; além de mencionar bastante o peso que as promessas que fazemos um ao outro tem. Por ser narrado em primeira pessoa, conseguimos acompanhar todo esse desenrolar da trama de pertinho; o impacto e as consequências que a mudança de posição sobre ter filhos implica no relacionamento deles.

Preciso dizer, fiquei bem curiosa com esse livro e até tive que dar uma espiadinha no final com medo de que a autora tomasse um rumo diferente do que eu esperava hahaha. A escrita da autora consegue cativar; é fluída, envolvente e prende a atenção, apesar de a história não ter tantos momentos emocionantes. Esse é aquele típico livro que pode não agradar todo mundo justamente porque, analisando de maneira mais "fria", o leitor consegue enxergar uma resolução fácil para o plot principal da história. Porém, ainda assim, a autora narra de uma forma verdadeira as decisões e percepções dos personagens. Então, apesar de eu achar que no final das contas, a história poderia ser facilmente resolvida, ainda assim dá pra comprar a ideia do rumo que a autora toma justamente por trazer personagens bem construídos e reais.

Apesar de o livro ter mais de quinhentas páginas, Emily conseguiu prender a minha atenção na maior parte das vezes. Não digo em todas porque, em alguns momentos, a leitura foi um pouquinho mais arrastada, principalmente quando estamos nos aproximando do final querendo que a autora resolva o problema principal da história. Só que não é bem isso que ela faz: Emily decide focar em assuntos secundários que têm a sua relevância, mas que poderiam ter sido diluídos no decorrer dos outros capítulos para trazer uma leveza e tornar a leitura mais fluída. Isso pode ser um ponto negativo pra muita gente, pois se torna, de certa forma, maçante ler todas aquelas páginas quando se quer saber logo o final do livro. E nisso, Emily segura o suspense até as últimas páginas (literalmente).

O livro traz alguns clichês da vida real e resoluções fáceis de final de livro que dão aquele leve desapontamento por não trazer algo que ouse ou fuja do padrão. Uma coisa que me lembro de ter encontrado em outro livro da Emily e acho desnecessário: nem todos os personagens precisam acabar com um par romântico no final do livro (!!!). Isso me incomoda um pouco porque traz aquela sensação de "final de novela" que é bem mediano e, apesar de nos fazer ficar felizes pelos personagens, não impressiona e nem surpreende.

No geral, eu gostei do livro. Gostei da experiência de ler algo da autora e adorei acompanhar o rumo da história. Achei os personagens cativantes e me deixaram com aquela pontada de saudade ao fechar o livro. É claro que, como leitora, adoraria ler um capítulo adicional ou saber mais sobre os personagens após o final, pois nem tudo fica explicadinho. Porém, ainda assim, fiquei com aquela sensação boa dentro do peito, de quando lemos um livro que, apesar de ter seus defeitos, consegue agradar!

INFORMAÇÕES:
Livro: Uma Prova de Amor
Autora: Emily Giffin
Número de Páginas: 410 páginas
Ano de Publicação: 2013 pela Editora Novo Conceito
Avaliação: 3 de 5 estrelas (Bom)
Link para compra: na Amazon
As pessoas procuram conselho de modo seletivo. Elas conversam com pessoas que pensam do mesmo modo, que fazem eco aos seus próprios instintos. Contam apenas o que planejam fazer de qualquer modo.

2 comentários:

  1. Acho que os clichês fazem parte e muitas vezes deixam a leitura bem gostosinha igual né?! Adorei conhecer mais desse livro através da sua resenha. Adoro personagens que são amor.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oie,

    Livros clichês sempre acabam fazendo parte das nossas leituras, pois são leituras bem gostosinhas.
    Estou com um livro da autora aqui, mas ainda não li.
    Bjs!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.