quinta-feira, fevereiro 05, 2015

O Doador de Memórias, por Lois Lowry

INFORMAÇÕES:
EDITORA: Arqueiro
PÁGINAS: 192 páginas
AVALIAÇÃO: 5 de 5 estrelas (Excelente)
COMPRE: Na Saraiva, No Submarino
LEIA O PRIMEIRO CAPÍTULO: Clique aqui

COMO SERIA POSSÍVEL ALGUÉM NÃO SE ADAPTAR? A COMUNIDADE ERA TÃO METICULOSAMENTE ORGANIZADA, AS ESCOLHAS ERAM FEITAS COM TANTO CUIDADO!

Em O Doador de Memórias temos uma sociedade utópica onde tudo funciona de forma perfeita. Não há conflitos, sentimentos, cor, tampouco escolhas, assim como também não há possibilidades de erros, fome, guerras, muito menos consequências ruins como dor e sofrimento.

Você pode estar pensando o quão estranho isso possa soar aos ouvidos, mas não é o que os moradores da comunidade vivem há anos. Na verdade, eles decidiram abrir mão de tudo isso há muito tempo em favor de uma vida que aparentemente funciona de forma agradável. Para eles, não há passado nem lembranças, só existe o presente e aquela forma de viver, que é a verdade absoluta.

Os moradores sequer cogitam por um minuto como seria se eles decidissem por si só com quem casar, qual profissão seguir, tampouco o que comer, já que junto com escolhas, existe a grande possibilidade de erro. Afinal, aquela sociedade funciona de forma perfeita, eficiente, impossível de ser questionada ou ter qualquer tipo de mudança.

É nessa sociedade que conhecemos Jonas, um garoto de onze anos que está muito próximo em saber qual será sua Atribuição para o resto da vida. A tão famosa “Cerimônia dos Doze” nada mais é do que o evento onde definem qual será a profissão que seus moradores deverão seguir até o resto de suas vidas, quando completam doze anos. A partir dela, todos são conduzidos a treinamentos para que executem da forma mais perfeita possível suas tarefas. E é quando Jonas, ainda incerto sobre o que lhe aguardaria no futuro, descobre enfim que receberá uma atribuição honrosa e rara na comunidade: ele é incumbido a se tornar o próximo Recebedor de Memórias.

A princípio aquela atribuição lhe causa certo espanto, já que na comunidade há apenas um Recebedor em anos. Quando Jonas começa seu treinamento, ele enfim descobre o que o futuro lhe aguardava. Ele será a única pessoa a guardar todas as lembranças e memórias do que a sociedade já foi, antes de se tornar a Mesmice.

Entre receber memórias boas como um dia ensolarado, passeios de trenó e sentir a neve, coisas que ele jamais cogitou existir, Jonas recebe também lembranças incrivelmente dolorosas, como fome, guerra e tristeza. Ele percebe então que lidar com aquilo tudo não é, tampouco será, tarefa fácil.

Conforme se relaciona com o Doador, Jonas começa a questionar muitas coisas e a perceber a comunidade com olhos diferentes dos que ele sempre teve. E são nos encontros com o Doador que ele nota que deverá fazer escolhas e decisões importantes, que podem afetar não apenas sua vida, mas sim como toda a comunidade a seu redor.

Precisava fazer uma introdução um tanto quanto grande a respeito desse livro, já que ele envolve uma série de particularidades que o tornam um todo tão bem criado e escrito. Sem dúvidas, O Doador de Memórias se tornou um de meus livros favoritos, e fico imensamente contente em ter iniciado a leitura de 2015 dessa forma.

Diferente de tantos livros distópicos e utópicos também que vemos por aí, O Doador de Memórias traz uma ideia muito mais reflexiva e questionadora a respeito da sociedade como um todo. Não é um livro cheio de ação, como vemos em Jogos Vorazes, por exemplo. Mas é tão instigador e consegue prender a atenção do leitor, quanto qualquer outro livro.

A autora não faz rodeios para narrar os fatos, o que faz desse livro uma leitura fluída e rápida. Além do que, conforme vamos acompanhando a descrição dessa comunidade/sociedade tão diferente da nossa, a autora consegue incitar nossa curiosidade em querer saber o que vem depois, e entender quais rumos a história de fato se encaminha.

Preciso comentar também quão extraordinária foi minha experiência de leitura desse exemplar. Sem dúvidas, O Doador de Memórias é um livro muito bem escrito, assim como genial e brilhante. Esse livro consegue incitar pensamentos e questionamentos a cerca de uma porção de coisas que acontecem ao nosso redor, mas só se você se deixar permitir interpretar o livro dessa forma.

Acredito que essa decisão de torna-lo em filme, já que é um livro de certo modo antigo e que não teve tanta visibilidade assim no mercado quando foi lançado, foi uma sacada muito importante e, por que não dizer que o motivo de eu tê-lo lido? Apesar de ouvir por aí que o filme não tem muitas coisas que coincidem com o livro, digo a vocês que o leiam já que vale e muito a leitura.

E ainda bem que foi lançado em filme, caso contrário acredito que não teria ouvido tampouco me interessado na leitura desse livro tão cedo!

9 comentários:

  1. Assim como você, só conheci o livro por causa do lançamento do filme. Ainda não li o livro e nem vi o filme mas só vi coisas positivas sobre os dois. É a primeira resenha do livro que vejo tão detalhada e me deu vontade realmente de comprá-lo logo! Beijos!

    http://alguns-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, compre sim! É muito bom e bem escrito. Tende a agradar muita gente ;)

      Excluir
  2. Oie! Tudo bem?

    Eu só conheci o livro - também - a partir do momento em que o filme foi lançado. Eu já o assisti e adorei *-* Não vejo a hora de ler o livro, pois, assim como você, todos comentários que vejo a respeito do mesmo são positivos.

    Ah, e outra! Amo distopias <3 Haha

    Seguindo aqui, bjs e abs,
    http://leiturasilenciosaoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pretendo assistir esse filme!
      Vi algumas pessoas falando que não é tão legal assim, mas mesmo assim quero assistir hahaha
      Outros falaram bem, assim como você :D

      Excluir
  3. Estou super mega ansiosa para ler esse livro.
    Amei o post e a resenha, muito bem escrita.
    Beijos

    colecoes-literarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Que legal que eles estejam trazendo uma distopia antiga de volta com a adaptação para o cinema. Eu gosto muito de distopias e o fato de você ter dito que esse livro é diferente por trazer mais reflexão do que ação, me interessou muito, porque tem uma hora que a gente enjoa da mesma coisa.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  5. Estou com esse livro para ler faz tempo, acabei comprando em e-book (faço isso com todos os livros que acho que não irei gostar), e ainda não li. Sempre tem algum livro de interesse maior na frente, e ele acaba ficando pra depois.

    Mas pelo seu ponto de vista, ele parece ser muito bom, eu só comprei ele porque fiquei super curiosa pelo filme, mas ainda também não vi, porque quero ler primeiro.

    Bjkas :)
    Marina
    afinsdaleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir