quinta-feira, dezembro 11, 2014

Um resumão de Pretty Little Liars - 01x01-12

Antes de tudo preciso dizer que essa espécie de resumão NÃO TERÁ SPOILERS, pois spoilers são muito chatos e fazem tudo perder a graça. Por mais difícil que isso possa parecer já que não terá spoilers (é, eu também pensaria assim) para marcar meu avanço na série vou fazer esse tipo de post contando minhas impressões sobre a evolução da série. Mas, calma aí, nada formal ok?

Comecei assistindo PLL sem grandes expectativas. Séries, ta aí, sempre tive problemas com elas. Como disse no outro post aqui, sempre pensei que acompanhar seriados levam um tempão – coisa que ultimamente não estou tendo de sobra hehe – e paciência para assistir os episódios de acordo com a forma como vão sendo liberados. O que quer dizer que seriados são quase como novelas ou livros, onde vamos sabendo partes de um todo bem aos poucos. E isso não é de todo bom, já que às vezes queremos saber o que vem depois e depois, mas temos que aguardar o próximo episódio. Entediante às vezes? É, eu sei. Também acho.

Porém, como acompanhar seriados não era minha primeira vez, resolvi arriscar e começar mais um. Para não acontecer a mesma coisa que foi com The Vampire Diaries, Skins e Gossip Girl (que, a propósito, amo de paixão e um dia quem sabe vou assistir tudo mais uma vez ()) – seriados onde não sei em qual episódio, muito menos em qual temporada eu parei – decidi assumir tipo um “compromisso” com o blog, onde vou comentando aos poucos sobre determinado seriado que acompanho. Afinal, não são só livros e filmes assuntos que eu realmente gosto; games e seriados também entram em meu ranking pessoal. Então, por que não falar deles aqui já que o Nuvem de Letras é um blog que fala sobre entretenimento no geral?

Sempre tive vontade de ler a série da Sara Shepard, Pretty Little Liars que, se a propósito você não sabia que tinham os livros ou não sabia que tinha a série, eu falo um pouco mais sobre isso tudo nesse post aqui. Os livros são enormes, mas não de grossura e sim de tamanho da série. 16 livros? Muita coisa, certo? E muita grana para gastar, considerando que são publicados pela Rocco e isso quer dizer que os preços, dependendo da ocasião, podem não ser tão compensatórios assim. Então como adquirir os livros no momento está fora de questão, e eu sabia que PLL era uma dessas séries televisivas baseada nos livros e que também nomeio como “de menininhas” (com dramas e suspense, além de mistério e romance – porque sim), pensei “Por que não?”. E foi aí que tudo isso surgiu.

Ufa, agora vamos falar de coisa boa?



Minhas primeiras impressões logo no primeiro episódio foi que seria um pouco clichê. Digo clichê porque o primeiro episódio tinha que ser aquele que me faria querer acompanhar a série até o final, ou quase isso. Então, em minha análise amadora de seriados, posso dizer que ele (o primeiro episódio) deveria ter um pouco de tudo para agradar todos os expectadores possíveis, porém, em um curto período de tempo e me fazer gostar MUITO. Teria que introduzir a todos nós nesse novo “mundo”, explicar acontecimentos de forma rápida, mas que não ficasse atropelado. Teria que apresentar todos os personagens, criar um “problema” ou algo que nos deixasse curiosos, e manter essa curiosidade a ponto de querermos continuar acompanhando a série. Ufa! Muita coisa não é? Muito trabalho para ser executado em cerca de quarenta e cinco muitos talvez? Pois é.

E assim voltamos ao clichê. Tinha que ser um pouco, já que PLL conta a história de meninas comuns, com seus acontecimentos comuns do dia-a-dia, mas com uma situação problemática a respeito de algo realmente importante que nos prendesse até o final. Posso dizer que isso foi feito muito bem. É claro que, como tudo transcorreu de certo modo rápido nos primeiros episódios, e teve romance e suspense, muitas coisas não explicadas e tudo mais, senti uma pitadinha de clichê (ou seja, daquilo que estamos bem acostumados a ver por aí), mas com um pequenino diferencial: havia aquela situação problemática que aguça a curiosidade e que seria desenvolvida depois – que nesse caso é o desaparecimento de uma das garotas principais logo no primeiro episódio e a suspeita de sua morte (após 1 ano de sumiço), e então o começo de recebimento de mensagens SMS das restantes do grupo, onde ameaçam com segredos que apenas a garota desaparecida sabia. Achei a sacada bem inteligente. Me lembrou algo como “Eu sei o que vocês fizeram no verão passado”, aqueles filmes de anos atrás que traziam um pouco dessa essência também.

Passado isso, os problemas pessoais das garotas vão se desenvolvendo e intensificando. O romance, unido ao suspense de quem é essa pessoa que “sabe de tudo”, mas ao mesmo tempo não revela sua identidade, não cai no marasmo. Acho que essa mescla do cotidiano com o desenvolvimento da “situação problema” é bem construída e não se torna maçante em nenhum momento.

Até o episódio onde assisti, ainda não descobrimos quem é essa pessoa sabe tudo (e nem tenho esperanças de que isso vá acontecer logo), mas a série vale muito a pena! Tem muita coisa legal e a gente se vê torcendo por alguns personagens e romances, e nos afeiçoando também por uma ou outra das personagens principais. O bom é que a série tem de tudo e promete sim agradar muitos telespectadores.

Se você começou a assistir e não curtiu tanto assim o primeiro episódio (rápido demais, confuso, muita informação e tudo mais), saiba que os episódios vão ficando melhores. E que, se eu fosse você, daria uma chance sim. É muito legal!

6 comentários:

  1. Oie! Não sou fã dessa serie, nem dos livros! Acho que eu não conseguiria ler eles sem ficar estressada!
    bjs, se puder comentar nessa resenha ajudaria muito:
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2014/12/entrevista-joice-tiegs.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh Nay, eu até que achava que seria chatinha a série sabe? Me surpreendi completamente ;)

      Excluir
  2. Gostava da outra série dessa autora (the lying game), mas que infelizmente foi cancelada. Aí fui ler os livros dessa série e achei bem diferente e não curti. Resolvi então assistir PLL, já que tinha gostado tanto de TLG, podia gostar dessa tb, mas assim como vc achei confuso o primeiro capítulo e assisti poucos depois, não chegando nem na metade da primeira temporada. Mas voudar outra chance, já que vc disse que vale a pena!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, dá sim! O começo é meio clichê e tudo mais, mas depois acaba meio que viciando hahahaha

      Excluir
  3. Olá!
    Eu acompanho PLL desde o início e ela era uma das minhas séries preferidas. Essa coisa do mistério que envolve o sumiço/morte da Ali, e as mensagens de -A prendem a gente. Sinto saudades das primeiras temporadas em que eu ficava morrendo pelo próximo episódio e criando mil teorias!
    Hoje em dia ela é uma das séries que eu ainda só assisto porque: "Já que cheguei até aqui, vamos ver logo até o final". Por favor, não quero te desanimar, tem gente que ainda amaaaaa e adora os episódios, o problema é que eu cansei dela mesmo, cada vez fica mais enrolada e eu perdi a paciência. Talvez seja porque eu acompanhe muitas séries, muitas mesmo, mais de 30! hahaha.

    Beijos, Fer.
    http://viciosemtres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau, quantas séries!!! HAHHAHAHA Ahh acho que isso pode sim acontecer... Acabei meio que """viciando""" (mas que prefiro chamar como "fiquei curiosa em saber o que vem depois") porque fica muito daquela curiosidade em saber quem é a A e quem vai ficar com quem, etc... :D

      Excluir