Saindo da famosa "zona de conforto literária"

Depois de tanto tempo sendo leitora assídua de livros, eu acredito que encontrei – e posso definir – o tipo de livro que mais me agrada, pelo menos nos últimos tempos. Lembro que quando iniciei essa jornada de gostar de livros e ler o máximo que podia, o meu encantamento sempre pendeu mais para o lado da literatura fantástica. Ficava fascinada pela criatividade dos autores em discorrer sobre um mundo que nem existia, sobre coisas que nunca passaram por minha cabeça, por um mundo mágico diferente do nosso, onde qualquer coisa poderia ser criada a partir do zero.
Nessa época eu me encantava por livros como Harry Potter e as Crônicas de Nárnia. Lembro claramente o quanto me envolvia com a leitura e queria compartilhar com todo mundo sobre meu gosto literário.


É claro que o tempo passa, nossos gostos mudam e tudo o mais e eu pude notar que acho que me encontrei como leitora. Mas... Como assim? – você me pergunta. Estou falando de gêneros literários, tipos de livros que acabam sempre puxando você para priorizá-los na leitura, quando você tem um leque infinito (ou não) de opções para escolher. Descobri que sou apaixonada completamente por livros do gênero thriller. E esse gosto não começou assim, do nada. E é aí que esse post pode começar a fazer sentido.

Acho que já comentei com vocês outra vezes a respeito de gostos literários, e se não me engano, foi na resenha que fiz para o livro da Agatha Christie – Os Elefantes Não Esquecem (x). Minha mãe que me deu esse livro e, confesso, sempre ouvi falar tão bem dessa autora que quando ganhei um livro dessa autora, fiquei atônita: Preciso ler para saber o que tanta gente vê de bom na escrita dela. Resumindo? Eu não curti muito não, mas valeu a experiência de me aventurar por um mundo de gêneros que geralmente não aprecio tanto, e é daí que você pode perceber que cada um tem um gosto e que ninguém é obrigado a gostar de um livro só porque você gostou. As pessoas podem sim discordar da sua opinião. É algo pessoal, que pode ter sim uma similaridade com outra pessoa – e acho que é daí que os blogs literários fazem sentido. Encontrar alguém com gosto parecido e que indica um livro que gostou muito pode ser uma escolha válida.



Mas então, voltando ao tema inicial. Depois disso resolvi me aventurar para um mundo onde eu saísse da minha zona de conforto e descobrisse outros gêneros. Foi então que a linda e maravilhosa editora parceira aqui do site (Editora Arqueiro) cedeu um exemplar do livro Identidade Roubada (x) para que eu lesse e.... bem, foi aí que tudo mudou HEHE Eu descobri que amo livros desse gênero. Ok, eu não tenho um monte de livros desses, mas eles acabam me encantando de tal forma – assim como programas de tv e filmes desse tipo. Isso faz todo sentido agora!



Já aconteceu isso com vocês? Ou melhor, vocês já pensaram em sair da sua zona de conforto literária e descobrindo novos livros, novos gêneros preferidos, novas histórias e rumos diferentes? Às vezes fazer algo diferente do normal é tão bom. Pode não ser de primeira que você acabe gostando... (não se esqueçam de eu e minha relação com Agatha Christie), mas mesmo que o ser humano naturalmente tenha um pouco (ou total) aversão a mudanças, elas podem fazer bem sim. Basta experimentar.

Um comentário:

  1. Oieeee, eu comecei com os livros da Agatha, graças á ela eu entrei neste mundo da leitura, então eu demorei um pouquinho para sair da minha zona de conforto, também ela tem tantos livros. Mas depois eu me lembro (que faz muito tempo), mas eu li o livro do "Diário da Princesa" da Meg Cabot, nossa eu achei super diferente, mas acabei gostando da leitura. Mas foi muito difícil mudar. Agora eu leio vários tipos, mas o que eu menos gosto de ler são os distópicos, o único que eu li e que valeu a pena ler foi a série "Divergente".

    Bjkas
    Marina
    Leituras e Afins
    http://afinsdaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.