Chernobyl

by - maio 08, 2013

Não sei se vocês sabem, mas os filmes de suspense são os meus preferidos! Por que estou falando isso? Quando vi Chernobyl sair no cinema - não vou me lembrar agora quando isso foi, mas enfim - fiquei com muita vontade de assisti-lo. Entretanto, após ter lido uma 'resenha' não tão positiva assim sobre esse filme em um blog que acompanho, acabei achando que o filme não era "tudo isso assim" e que "provavelmente eu não ia gostar". Mas, acreditem, eu estava completamente enganada.


Chernobyl é um filme que, só pelo pano de fundo que é contada a história, já traz certa tensão. É claro que ele se inicia como a maioria dos filmes de suspense: um grupo de amigos que vão fazer uma viagem e acabam se metendo em enrascadas. Mas não é só isso: a tal da viagem poderia ser tranquila, caso não estivéssemos falando de uma cidade abandonada no meio do nada, onde os trabalhadores da  usina nuclear de Chernobyl residiam (x). O acidente nuclear da usina fez com que todos os habitantes abandonassem suas vidas, suas casas, suas coisas para simplesmente fugir e tentar salvar suas vidas a fim de não serem afetados pela radiação. É uma cidade inteira à "disposição" das pessoas, mas com um detalhe: não se sabe o que restou ali de fato. Ou melhor, quem restou.


Após conseguirem entrar ilegalmente na cidade abandonada de Pripyat e fazer um tour turístico com direito a fotos e apreciação do lugar caótico, o grupo se surpreende ao cair da tarde, que os fios da van que usaram para se locomover até ali estão completamente destruídos e que isso os impedem de voltar para casa. Entretanto, não há rastros de que tivessem sidos destruídos por animais, há algo mais peculiar ali, algo que precisa ser investigado. Os fios foram simplesmente arrancados, rasgados, destruídos. E sim, eles terão que passar a noite ali com o medo do desconhecido. Sem saber de fato se eles estão sozinhos.

Chernobyl é puro suspense, um ponto super positivo para quem gosta do gênero, porém não tem encontrado muitos filmes realmente de suspense por aí. Ele não é um filme de terror, então não espere ficar assustado com algumas cenas. O filme é recheado de tensões, daquelas que te deixa agoniada em saber o que vai acontecer depois, quem eles vão encontrar atrás de uma porta, ou até mesmo o que se esconde por detrás da cidade abandonada de Pripyat. O filme não te traz descanso. É suspense do início ao fim e isso eu tenho que aplaudir, já que filmes de suspense nem sempre conseguem se manter na 'linha' do suspense o tempo todo. Mas não se estivermos falando de Chernobyl. É aquele friozinho na barriga a todo momento.


Vi muita crítica em relação a esse filme por conta do final. Eu o fiquei analisando por um tempo, tentando entender a lógica que levaram ao que de fato é o término da história e, caso pensarmos um pouco sobre isso, seria uma das formas mais lógicas de se acabar. Até porque há um sentido no final e por mais que possa soar um pouco aleatório demais, faz todo um sentido dada a situação em que a história se desenrola. (ok tentei explicar minha teoria, mas não tem como se não contar a história, então caso você o tenha assistido e quiser falar sobre isso, posso explicar melhor o que achei).

É ficção! Então não esperem atitudes tão racionais assim, em alguns momentos; tampouco decisões que seguem a lógica de qualquer ser humano. Porque são essas decisões meio malucas dos personagens que trazem o suspense para a história.
Eu recomendo que você assista e tire suas próprias conclusões. Gostei e essa é a minha opinião.

Assista o trailer:

Você também vai gostar

3 comentários

  1. Deve ser um ótimo filme para quem curte o gênero... eu no entanto não gosto muito, mesmo assim obrigada pela dica :D

    beijos, me visita?
    http://amostradelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Apesar da críticas fiquei com vontade de o assisti-lo, me parece um ótimo filme! Além disso, amo filmes desse gênero!
    Beijos.
    livros-now,blogspot.com

    ResponderExcluir