Reboot por Amy Tintera - Nuvem de Letras

terça-feira, abril 07, 2015

Reboot por Amy Tintera

INFORMAÇÕES:
EDITORA: Galera Record
PÁGINAS: 347 páginas
AVALIAÇÃO: 5 de 5 estrelas (Excelente)
COMPRE: Na Americanas.com, No Submarino
LEIA O PRIMEIRO CAPÍTULO: clique aqui

OS NÚMEROS MAIS BAIXOS QUASE SEMPRE CHORAVAM. O 45 PROVAVELMENTE TERIA CHORADO. ELE SÓ FICOU MORTO POR 45 MINUTOS ANTES DE RESSUSCITAR. QUANTO MENOS TEMPO SE FICASSE MORTO ANTES DE VOLTAR COMO UM REBOOT, MAIS HUMANIDADE FICAVA RETIDA. EU FIQUEI MORTA POR 178 MINUTOS. NÃO CHOREI.

Reboot foi lançamento de março da editora Galera Record e é um livro que promete agradar e muito os fãs de distopias! Com uma premissa totalmente diferente e original, a leitura se torna essencial para quem gosta do gênero ou de livros que fujam do comum.

Após um vírus mortal se espalhar pelo mundo e dizimar grande parte da população, as pessoas começaram a retornar da morte. Chamados de Reboots, quem voltava tinha algumas de suas características físicas alteradas, como a força, agilidade e sua resistência física. O tempo que demoravam a reinicializar dizia muito a seu respeito também. Quanto mais tempo demandava sua volta, menos humanidade o Reboot tinha. E é dentro desse contexto que conhecemos Wren Connolly, que levou incríveis 178 minutos para voltar da morte.

Wren é conhecida como a mais forte Reboot. Morta quando ainda criança é levada para trabalhar na CRAH, a Corporação de Repovoamento e Avanço Humano. CRAH nada mais é do que uma corporação que surgiu no meio do caos da humanidade com propostas de organizar a bagunça toda. Como os seres humanos em suma tiveram aversão as pessoas que reinicializavam, a Corporação apareceu então com o intuito de ao mesmo tempo em que cuida dos Reboots, prega a ordem e reestruturação do lugar, usando-os a seu favor como uma arma de proteção na e para a humanidade.

Wren adora seu trabalho que oscila entre caçar os rebeldes que a Corporação a manda capturar, e treinar novos Reboots que chegam aos montes dentro de um determinado período. Aquilo é tudo o que conhece e, apesar de seu trabalho envolver matar pessoas que Wren jamais conheceu e tampouco sabe o motivo daquilo, ela se sente grata por ter comida e abrigo, coisas que raramente possuía quando ainda era humana.

Acostumada a treinar sempre os Reboots com número mais alto, Wren fica um tanto curiosa quando na nova leva de Reboots, um 22 lhe chama a atenção. Sem dúvidas treinar um Reboot com numeração baixa é uma tarefa muito difícil, já que seu lado humano é muito mais aflorado do que os outros, e sua capacidade de ter êxito nas missões é quase mínimo.

Callum Reyes, o número 22, tem um riso fácil no rosto apesar das circunstâncias, e, aparentemente, não se importa muito com as regras da Corporação. Isso lhe deixa no mínimo curiosa em treiná-lo. Na cerimônia de escolha, Wren acaba optando por ele, um número mais baixo pela primeira vez, e sabe que terá muito trabalho a fazer, caso queira ter êxito em seu treinamento. Repleto de perguntas e questionamentos a respeito de procedimentos da Corporação bem como as coisas funcionam, Callum acaba influenciando Wren a ter essa posição questionadora a respeito das coisas ao seu redor. E é aí que tudo começa a mudar.

Reboot é um daqueles livros que possuem uma premissa brilhante que se é bem explorada, tem tudo para dar certo. Ainda bem que Amy Tintera conseguiu desenvolver a história de modo genial e estou completamente satisfeita em ter feito a leitura desse exemplar. Foi muito mais incrível do que esperava que fosse.

Narrado em primeira pessoa, acompanhamos tudo sobre a visão da personagem principal, Wren Connolly. Isso foi muito importante, já que “compramos” a ideia de como a Corporação funciona desde o início por Wren também tê-la feito anos atrás quando ingressou como Reboot. Logo ter que lidar com os questionamentos de Callum, um "mero 22" é um tanto quanto interessante e acaba nos fazendo ver as coisas de outra forma. Por vezes questiona-se se a Corporação realmente está ali como um auxiliador deles ou na verdade um mero governo totalitário que aproveita uma fraqueza da humanidade para tomar o poder e ditar como o mundo deve ser.

Wren é uma personagem bem forte, durona, nada a ver com a mocinha que precisa de ajuda. Callum é o tipo de personagem que só consegui me encantar por ele conforme fui o conhecendo mais. Todos os personagens são bem descritos e dá vontade em saber mais a respeito de grande parte deles e de entender muitas de suas intenções e propósitos de vida.

A narrativa da autora é bem direta, sem enrolação. E apesar de eu ter lido algumas críticas sobre os questionamentos que a personagem principal começa a ter, achei bem plausível e sensato o caminho que a autora levou para explicar as coisas e fazer com que Wren começasse a ver o mundo que estava acostumada a viver, de forma diferente.

O final da história fica aberto para que queiramos a continuação. Sinto que muita coisa ainda pode ser dita e a autora tem um leque grande de opções com coisas que ela pode inserir nessa continuação e fazer a história ser o máximo! A sequência já foi lançada lá fora e se chama “Rebel”. Você pode conferir a capa clicando aqui.

Estou numa pegada de ler e assistir filmes/livros que tenham muita ação e uma história bem ambientada e desenvolvida. Reboot sem dúvidas entra nesse quesito e é o tipo de leitura que pretendo ter mais na decorrência desse ano. Original, cheia de ação e tensão, além de uma leve pitada de romance que convence, mas não é o cerne da história, se você gosta de histórias desse tipo, não tenho dúvidas que você vai amar Reboot assim como eu amei.

O livro será adaptado para as telinhas e tenho certeza que será um sucesso, caso a essência do livro seja mantida na adaptação. Super indicado!

10 comentários:

  1. Nossa adorei a história. Quando você disse "Corporação" e "Volta dos mortos" já pensei que fosse uma história clichezinha baseada em Resident Evil, mas enfim, agora você me deixou morta de curiosidade e morta de vontade de ler o livro. Espero que eu consiga ler o livro antes do filme! Beijos!

    http://alguns-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. É a primeira resenha que leio desse livro, gostei muito!
    Distopia já é vida, e esse livro parece ser bem diferente dos outros e longe de clichês. Fiquei curiosa com o 22, rs
    Achei muito show tbm a capa;)
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com
    *Tem Resenha Premiada e Foto do Leitor rolando!*

    ResponderExcluir
  3. OI OI!
    Não conhecia o livro, mas achei bem legal essa coisa de Reboots. No começo, quando você vai falando do livro, achei que era mais uma coisa sobre zumbis, mas não é. É muito mais interessante e parece bem feitinha, bem escrita e explorada. Não sou fã de distopias, mas esse livro parece BEM interessante sem ser muito viajado!!
    Adorei a resenha!!
    Beijos

    LuMartinho

    ResponderExcluir
  4. Primeira vez que vejo esse livro, não conheciaa.
    Parece ser interessante, já me estimulou algumas imaginações
    www.iamcamilakellen.blogspot.com
    https://www.youtube.com/watch?v=nEzNDpRb7kg

    ResponderExcluir
  5. Eu tinha uma imagem bem diferente desse livro. Achava que fosse puxar mais pro lado da ciência, mas parece uma distopia mais assim "juvenil". Não que isso seja ruim, eu adoro esse estilo, e na verdade fiquei mais na vontade ainda de ler agora, como se antes já não estivesse louca por ele kkk adorei e adorei mesmo a resenha! Foi a primeira que li a respeito desse livro e foi super bem explicativa :D

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem tag do skoob no blog, vem ver!

    ResponderExcluir
  6. Não dá nem pra imaginar o quanto eu tô curiosa pra esse livro, tirando que tavam falando muito deve em vlogs literários internacionais e tal. Ótima resenha e me fez ficar me perguntando se eu vou mesmo gostar do livro. Afinal, as vezes a gente tem uma expectativa enoorme e na hora da leitura se acabam todas as expectativas. Hahaha.
    Beijos <3

    ResponderExcluir
  7. Não li ainda e nem conhecia, nunca tinha ouvido falar deste livro. Parece ser bem interessante, tenho que pesquisar mais :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oii...
    Eu ainda não li o livro, mas a premissa me chamou muito a atenção. É bem diferente mesmo das outras distopias.
    Adorei a resenha!
    Bom final de semana.
    Beijinhos ;**
    Leitora Online

    Facebook | Instagram | Twitter

    ResponderExcluir
  9. To ficando cada vez mais curiosa com esse livro!
    Amei a resenha.
    beijos.
    http://www.amandatelo.com/

    ResponderExcluir
  10. Nunca li o livro, mas você tem uma maneira incrível de explicar as coisas que estou morrendo de vontade de ler.. Amei a resenha <3

    ResponderExcluir