Vinte Garotos no Verão, de Sarah Ockler

INFORMAÇÕES:
EDITORA: Novo Conceito
PÁGINAS: 285 páginas
AVALIAÇÃO: 5 de 5 estrelas (Excelente)
COMPRE: Na Livraria Cultura, No Submarino
BAIXE O PRIMEIRO CAPÍTULO: Clique aqui

QUANDO ALGUÉM QUE VOCÊ AMA MORRE, AS PESSOAS PERGUNTAM COMO VOCÊ ESTÁ, MAS NÃO QUEREM SABER DE VERDADE (...) ELAS QUEREM SABER QUANDO A OBRIGAÇÃO DE PERGUNTAR TERMINARÁ

Vinte Garotos no Verão conta a história de Anna Reiley e os irmãos Matt e Frankie Perino. Os três, unidos e inseparáveis vizinhos e melhores amigos, estão enfrentando mudanças em suas vidas já que Matt, o garoto do grupo, se prepara para ingressar em uma nova etapa da sua vida, a faculdade, enquanto as garotas ainda estão nas diversões do início da juventude.

Com o tempo acabam surgindo grandes sentimentos e quando Anna se dá por conta, está apaixonada por Matt. O sentimento que surgiu aos 10 anos de idade só é conhecido por seu coração, onde ela o guarda a sete chaves no fundo do peito sem compartilhar com mais ninguém.

Apenas no aniversário de 15 anos de Anna que ela é surpreendida ao ter seu sonho de anos realizado: Matt a beija secretamente na cozinha. A partir daí, começam a surgir encontros no meio da noite, troca de olhares e o desejo crescente de que tudo isso se torne público. Mas ainda não. Matt promete à Anna que irá confessar seu relacionamento com a garota, porém o fará na viagem que todo ano a família dos Perino fazem à Califórnia, na Ilha de Zanzibar. Até lá, eles compactuam guardar segredo.

O que não esperavam era que, após um ataque cardíaco repentino, Matt falece e junto com ele, muita coisa vai embora. A alegria da família, a motivação para viver. Tanto a família dos Perino quanto Anna sofrem por não saber como lidar com uma perda tão repentina. Matt era o amor secreto de Anna, mas também ele era Matt, o irmão de Frankie, o garoto cheio de sonhos e planos para seu futuro, o filho querido, um grande amigo.

Lidar com a perda não é nada fácil e cada pessoa acaba enfrentando isso de formas distintas. Enquanto Anna se refugia nas páginas de seu diário, depositando tudo aquilo que já foi e tudo aquilo que ela gostaria que fosse (o doloroso “se”), os pais de Matt ficam perdidos, sem saber o que fazer com eles mesmos, tampouco com a filha. A mãe mergulha de cabeça em assuntos relacionados a decoração, o pai, não toca no assunto, já Frankie, muda completamente sua personalidade. A garota passa a ter valores diferentes dos que antes norteavam a sua vida. Frankie se torna mais fútil, tendo sua atenção apenas em garotos, roupas, maquiagens e na idealização do corpo perfeito.

Um ano após tudo isso, a família dos Perino decidem fazer a famosa viagem de verão à Califórnia. A primeira viagem que fazem sem Matt não poderia ser algo simples e fácil de encarar. Dessa vez, eles decidem levar Anna e ela sabe o quanto vai ser difícil e complicado o passeio não apenas para ela, mas a todos. Tudo na Ilha de Zanzibar lembra Matt. Cheira a ele. Cada lugar é espaço para uma visita as lembranças e a viagem acaba se tornando algo mais complicado do que aparentava ser.

É nessa viagem que surge a proposta de Frankie: conhecer vinte garotos no verão. Vinte novas possibilidades, vinte novos romances. Uma forma de fazer com que aquele passeio se torne O Melhor Verão de Todos os Tempos. É claro que a proposta de algo leve e divertido não será tão simples assim, como parece. E tanto para as garotas como para família de Matt, visitar tais lembranças é um tanto quanto difícil e complicado, já que falar sobre é a mesma coisa que reviver a dor.

Vinte Garotos no Verão é uma história de certa forma triste, mas bela. Não é o tipo de livro que mexe com o emocional a ponto de fazer chorar horrores, mas consegue ser tocante na medida certa.

A viagem se torna algo difícil e a autora consegue transpor isso de modo rico para as páginas. É como se todos tentassem não falar sobre Matt, ou fingir que tudo aquilo não aconteceu, só para que a dor e a tristeza fossem embora. Sentimos como se todos andassem sobre ovos ou estivessem a um passo de explodir com tudo aquilo que tem dentro deles.

O interessante deste livro é o fato de além de trazer uma carga emocional relacionada com a perda dos personagens, a autora conseguiu não perder a leveza e calmaria que traz o verão, que é o cenário principal da história. Quando pensamos em verão é claro que relacionamos com alegria, leveza e sentimentos positivos, nunca de tristezas. Porém Sarah Ockler conseguiu mesclar tudo isso de forma possível e incrível.

A narrativa flui rápida e a escrita da Sarah consegue ser bem envolvente. Narrado em primeira pessoa, esse livro não possui altos e baixos. A cada virada de páginas, conseguimos sentir o desejo de prosseguir com a leitura da história, e também nos sentir de fato naquele verão.

Posso dizer que Vinte Garotos no Verão é um livro juvenil com pinceladas de tristezas, então não espere uma história que te faça chorar litros. Emociona sim, mas no ponto certo. É uma história sensível sobre amor, perda e seguir em frente. Leitura indispensável para quem gosta de histórias envolventes e que prendem a atenção do leitor até a última página.

11 comentários:

  1. Oie Daisy
    li esse livro em inglês um tempo atrás, e gostei muito. Esperei lançar a edição brasileira para ler novamente, mas até hoje não consegui.
    Eu não chorei no livro, mas a morte dele já no início foi um baque, e me deixou super sensível. Eu amei o livro.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria comprar em inglês, mas fiquei com medo do nível de inglês ser muito além do meu :(
      Adorei a leitura também :D

      Excluir
  2. Oiii,
    Já ouvi falar sobre o livro, mas ainda não li.
    A resenha ficou ótima!

    Beijos,
    Juh
    http://umminutoumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Um drama então?
    Não esperava isso. Achei que fosse só um romance do tipo engraçadinho.

    Adorei essa mudança, rsrs.

    Gostei da resenha e pretendo ler sim, agora que sei mais do que se trata.

    Bjks

    Lelê - http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, eu achei que ia ser um romance de verão também haha

      Excluir
  4. Que resenha lindaaaaa.
    Estou louca por esse livro... Ameiii.

    Heim, te indiquei para responder uma tag. Participe tambm do meu primeiro sorteio, link em imagem no blog.


    http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/2015/02/tag-12-momentos-literarios.html#more

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Olha, eu curti esse livro, mas achei alguns problemas e suas resoluções meio infantis, sabe? E me incomodou ver as atitudes da Anna, principalmente. Mas enfim, é um livro bem levinho, daqueles que lemos bem rápido.

    http://www.devaneiosdepapel.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem levinho mesmo, tipo uma leitura de verão :D

      Excluir
  6. oiii, eu estou lendo este livro, particularmente eu estou gostando bastante do enredo, de fato algumas partes são um pouco comoventes, contudo a narrativa é muito boa, engraçada em alguns momentos, por exemplo quando elas estão fugindo da casa de praia e são pegas. O mais incrivel é como de repente as coisas mudam, os sentimentos mudam, levando a narrativa para outro lado., coisa que está me deixando facinado.

    Depois da uma passadinha no meu Blog? o link é este https://geekiebooks.wordpress.com/2015/02/22/resenha-carta-de-amor-aos-mortos-ava-dellaira/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.